Canfeistas visitam Porto de Cabinda

 

Os delegados de Cabinda ao Campo Nacional de F&eac...

Canfeistas visitam Porto de Cabinda

Os delegados de Cabinda ao Campo Nacional de Férias dos estudantes Universitários, deram inicio nesta quarta-feira, 12 de Fevereiro, ao programa de visitas a instituições e empresas públicas e privadas da região.

As visitas têm como objectivo, munir os delegados de informações sobre projectos, potencialidades e acções a desenvolver por estas organizações no sentido de as exporem no encontro da juventude académica a ter lugar na província do Bengo.

O ponto de partida deste programa de visitas foi o Porto local. Na maior empresa pública da região, a juventude universitária ao Canfeu, liderada pela JMPLA, constataram a realidade funcional da infra-estrutura portuária, projectos e o seu plano de acções.

Cornélio Maurício Bambi, secretário do departamento de informação e propaganda da JMPLA em Cabinda, disse que visita ao Porto de Cabinda, visou obter toda informação da empresa.

Realçou também que a juventude que parte ao Campo Nacional de Férias, confere importância estratégica ao Porto, daí ter colocado a empresa portuária local no topo da sua agenda.

E no que toca ao processo de infra-estruturação do Porto de Cabinda, Maurício Bambi afirmou que estando do lado de fora a realidade é outra, acrescenta por isso, que as obras em curso vão fazer crescer a empresa e particular e a província no geral.

Cornélio Maurício Bambi, anunciou que 20 delegados representarão a província no evento. No grupo de delegados, destacam-se as associações dos estudantes do ensino superior e associações juvenis.

O Canfeu é uma oportunidade onde a juventude universitária, discute problemas sociais que o país e aponta possíveis soluções.

Mais de 600 jovens vão participar de 17 a 22 de Fevereiro próximo, na província do Bengo, na 17ª edição do Campo Nacional de Férias de Estudantes Universitários (CANFEU), organizado pela organização juvenil do MPLA (JMPLA).

A delegação de Cabinda, parte para o palco do evento no dia 17 do mês e ano em curso.

Porto de Cabinda promove prova de ciclismo em saudação ao 58º aniversário

 

O desporto esteve em alta no quinquagésimo ...

Porto de Cabinda promove prova de ciclismo em saudação ao 58º aniversário

O desporto esteve em alta no quinquagésimo oitavo aniversário do Porto de Cabinda. A prova de ciclismo em circuito fechado foi só parte de um programa gizado para saudar o 7 de Fevereiro de 2020.

A actividade desportiva, teve como propósito manter a empresa ligada ao desporto cabindense por um lado, e por outro, fazer ressurgir a modalidade que há muito não é vista no centro da cidade.

A prova de ciclismo em circuito contou com a participação de oito ciclistas. Com dez voltas, a corrida teve a largada defronte a sede de administração da empresa, passando pelo BPC, tribunal militar, rua Pereira Neves, descida do restaurante Ouro Verde e contornando a rua do Comercio.

Ao cabo das dez voltas, o ciclista Jacob Marques bateu na concorrência os seus adversários.

Os ciclistas disseram que, o convite do Porto foi bem-vindo e serviu mais uma vez para demonstrar que há ciclistas na província e carecem apenas de apoios para organizarem de provas do género.

Já o administrador para a área técnica e operativa do Porto, Artur Carvalho, a realização da prova consolida o compromisso da empresa portuária com o desporto.

Todos os concorrentes receberam certificados de participação, tendo ficado a promessa de para o ano haver mais provas com a marca Porto de Cabinda-E.P.

 

PCA quer um Porto cada vez mais eficiente

 

O Presidente do Conselho de Administraç&ati...

PCA quer um Porto cada vez mais eficiente

O Presidente do Conselho de Administração do Porto de Cabinda, anunciou a pretensão de ainda no decurso do primeiro trimestre deste ano, proceder a ajustes no comité de ética e sustentabilidade da empresa.

Tal pretensão segundo Samuel Sambo, deve-se aos ajustes necessários que a empresa deve efectuar no concernente a governança corporativa, atendo que, o Porto é membro do Pacto Global das Nações Unidas desde 2018.

“Procederemos também neste período, a reformulação do comité de ética e sustentabilidade do porto de Cabinda, tendo em consideração que somos membros do pacto global das nações unidas”.

No discurso que marcou a passagem dos 58 anos da empresa, o PCA fez ainda alusão, ao facto do Porto local estar empenhado na interligação dos Portos de Angola através da JUP, janela única portuária.

O responsável partilhou com os membros do governo, parceiros e trabalhadores presentes na habitual cerimónia, o ponto de situação dos trabalhos neste sentido.

Samuel Sambo, assumiu trabalhar para que a empresa que dirige continue sendo a principal infra-estrutura portuária de Cabinda. Mas o sucesso desta pretensão, passa fundamentalmente na aposta as novas tecnologias.

Neste sentido, o presidente do conselho de administração garantiu até Junho deste ano de 2020 no âmbito da adesão a “JUP” janela única portuária, o Porto local através deste processo já estará na fase produtiva.

 “ Os trabalhos que já decorrem, terão outro impulso com a chegada à Cabinda de uma equipa de técnicos da Indra. Que está a trabalhar com os portos de Angola na instalação da JUP” .

Realçou o PCA, com a JUP, os parceiros do Porto terão a tarefa simplificada por via da internet.

Na sua intervenção, o PCA abordou ainda formação de quadros dentro e fora do país e a assinatura do acordo colectivo de trabalhadores ainda no primeiro trimestre do ano em curso.

Em representação do governador provincial de Cabinda no acto, esteve o seu vice governador para a área económica, Romão Macário Lembe.

O governante, ressaltou na ocasião o impacto económico que representa o porto de Cabinda na sociedade local e avançou o executivo tudo estar a fazer no sentido de melhor infra-estruturar  a empresa.

Porto doa bens alimentícios ao hospital Santa Catarina

 

No âmbito do seu quinquagésimo oitavo...

Porto doa bens alimentícios ao hospital Santa Catarina

No âmbito do seu quinquagésimo oitavo aniversário, o Porto de Cabinda doou bens alimentícios aos doentes internados no hospital Santa Catarina.

Na ocasião, foram doados arroz, leite, massa alimentar, água mineral, sumos, açúcar, papel higiénico entre outros.

Procedeu a entrega dos bens à direcção do hospital, o administrador para a área técnica e operativa Artur António Fernandes Carvalho.

O objectivo da acção solidária é a melhoria da dieta alimentar dos doentes internados naquela unidade sanitária.

Em entrevista a imprensa, o director de recursos humanos do Porto de Cabinda Pitra Napoleão referiu que o gesto estava enquadrado como das actividades que visava saudar os 58 anos do Porto por um lado, e por outro, marcar mais um passo naquilo que são as acções ligadas a sustentabilidade da empresa.

De acordo com Pitra Napoleão, todos os anos o Porto local partilha com as unidades sanitárias de Cabinda, momentos do género com destaque para distribuição de sopa e fármacos.

A directora do hospital Santa Catarina agradeceu o apoio e incentivou o Porto de Cabinda a prosseguir com acções de tal dimensão.

Maria de Lourdes Tomás acrescentou que este é um dos maiores gestos de carinho e amor ao próximo.

Executivo injecta 124 milhões de USD para retomada das obras do Porto de águas profundas de Cabinda

 

Com objectivo de dar cumprimento a uma orienta&cce...

Executivo injecta 124 milhões de USD para retomada das obras do Porto de águas profundas de Cabinda

Com objectivo de dar cumprimento a uma orientação do ministro dos transportes, resultante da reunião realizada no dia 16 de Dezembro de 2019 em Luanda, em que participaram o Secretário de Estado para os sectores da aviação civil, marítimo e portuário, o PCA do Fundo Soberano e directores nacionais do ministério dos transportes.

Na reunião presidida pelo ministro dos transportes no ano transacto foi constituída uma equipa técnica multissectorial, sob a coordenação do Secretário de Estado para o sector da aviação civil, marítimo e portuário.

A comissão é integrada por um membro do ministério das finanças, Fundo Soberano, Impa, Porto de Cabinda e um representante do governo provincial de Cabinda.

A equipa técnica tem entre várias missões o acompanhamento da implementação do projecto e a promoção de reuniões periódicas para balancear os trabalhos no Porto de águas profundas de Cabinda.

Na última quinta-feira, 23 de Janeiro, a comissão trabalhou em Cabinda onde manteve reuniões com os principais intervenientes à obra, como o seu gestor principal Jack Helton de nacionalidade Americana, a CRBC empresa chinesa responsável pela empreitada e Porto de Cabinda.

Na reunião decorrida nos escritórios da Caio-Porto, foi discutida a revisão do contrato dentro dos limites permitido pelos contratos de empreitada e de financiamento do Eximbank para além das tarefas prioritárias e fundamentais a serem desenvolvidas pela CRBC.

De acordo com o director geral do Impa, a reunião serviu para serem criadas todas as condições visando o encontro a ser realizado em Hamburgo, Alemanha em Fevereiro deste ano com o fiscal da obra e o projectista para retoma destes às suas actividades.

Nazareth Neto disse que durante o encontro, foi ainda abordada as acções de dragagem, da construção do cais e o inicio da construção da zona franca, trabalhos que, como acrescentou dependem do gestor do projecto bem como da empreiteira.

Em entrevista aos órgãos de informação, o representante do ministério dos transportes reiterou que o projecto entrou numa etapa de avanços depois de resolvidas todas as questões legais, que também causaram em Agosto de 2018 a sua paralisação.

Manuel Nazareth Neto, revelou que nos últimos dias foram igualmente ultrapassadas todas as questões financeiras que também estavam na base da paralisação da empreitada em Agosto de 2018, como por exemplo, o pagamento de 124 milhões de dólares norte-americanos.

O responsável esclareceu mais adiante que, também está em processamento o pagamento de algumas facturas de trabalhos realizados no ano transacto.

Nesta altura, a CRBC está a mobilizar meios técnicos e humanos, tendo reintegrado já 15 trabalhadores nacionais. Até Maio serão reintegrados 60 chineses e 110 angolanos na obra, prevendo-se que no decurso de 2020, 400 trabalhadores voltem a trabalhar.

Segundo o director geral do impa, no ano de 2022, a primeira fase do Porto de águas profundas de Cabinda termina, mas no terceiro trimestre de 2021, vai atracar o primeiro navio no Cais.

O valor inicial do contrato de construção não foi alterado, Nazareth Neto alegou existirem orientações concretas a serem cumpridas e que por isso, tudo está a ser feito pelo ministério dos transportes, empreiteira, fiscal, projectista e o gestor da obra para que tudo esteja assegurado no sentido dos trabalhos não voltarem a registar paralisação.

O Porto de águas profundas de Cabinda em construção na localidade de Caio-Litoral terá um ancoradouro com 1.130 metros de comprimentos, 16 metros de profundidade com capacidade para receber navios de grande porte.

Terá ainda uma área total do porto e zonas envolventes superior a 2.500 hectares,  instalações aduaneiras, oficinas, (serviços de apoio ao porto, reparação de navios), armazéns e estabelecimentos comerciais.

Secretaria provincial do ambiente devolve ao mar tartaruga

 

Foi devolvida com sucesso ao mar, a tartaruga mari...

Secretaria provincial do ambiente devolve ao mar tartaruga

Foi devolvida com sucesso ao mar, a tartaruga marinha que escolheu o porto de Cabinda, concretamente a sua área de operações para desovar.

A tartaruga fêmea foi avistada pelas equipas de fiscalização à orla marítima da empresa portuária de Cabinda, no dia 16 do mês de Janeiro do ano 2020, após esta ter desovado ao longo da madrugada do dia 15.

De acordo com Gabriel Lussuamo, chefe de Departamento do ambiente de Porto de Cabinda, explica que o registo da presença do animal na zona de operações do Porto deve-se ao intenso trabalho de fiscalização à orla marítima efectuada pela equipa de segurança e ambiente da empresa no quadro do sistema de gestão ambiental e do código ISPS.

A partir dessa descoberta acrescenta o Chefe de Departamento de Ambiente do Porto, foram tomadas providências, uma delas é a de informar ao corpo de bombeiros e a secretaria provincial do ambiente sobre o ocorrido, para os devidos procedimentos, pois o animal havia se abrigado numa bacia de retenção de água doce que se encontra no interior do Porto.

A presença do animal na costa marítima de Cabinda, deve-se ao período de desova, que, normalmente vai de Outubro á Janeiro. No seu ninho foram encontrados 116 ovos.

Os mesmos foram desenterrados por uma equipa de especialistas da secretaria provincial do ambiente, que de seguida, levou-os ao campo petrolífero do Malongo onde existe uma área de protecção e reprodução desta espécie em vias de extinção.

Gabriel Lussuamo revela que a consciência ambiental portuária é elevada e o trabalho de consciencialização as comunidades circunvizinhas será continuo.

Por seu turno João Abel da secretaria provincial do ambiente disse que a devolução da tartaruga ao mar e a remoção dos ovos, ocorre numa altura em que, o país se prepara celebrar o dia nacional do ambiente.

A tartaruga é uma espécie de réptil que vive na água doce ou marinha saindo somente quando necessário. A desova deste animal é terrestre. O termo tartaruga pode ser usado para todos os animais pertencentes ao grupo dos quelônios.