Navio com calado de 5.8 metros, atraca no cais do porto de Cabinda

 

Com uma cota  profundidade de 8.5 metros, o c...

Navio com calado de 5.8 metros, atraca no cais do porto de Cabinda

Com uma cota  profundidade de 8.5 metros, o cais  porto de Cabinda recebeu recentemente um navio pesqueiro com cerca de 5.8 metros de profundidade.

Trata-se do navio Orange Spirit com a bandeira das Bahamas, tem 115, 10 metros de comprimento. A atracação do navio, ocorreu sem constrangimentos apesar das ondas estarem no nível três em relação as calemas.

Manuel dos Santos Administrador executivo da SFT Angola, disse que a vinda à Cabinda do navio Spirit Orange, deve-se a um programa com o Ministério das Pescas que visa colocar mensalmente para província entre mil a duas mil toneladas de peixe congelado diverso com a finalidade de diminuir a escassez de peixe na região.

O Administrador executivo da SFT enfatizou ainda que, as calemas têm sido o grande calcanhar de aquiles por altura da descarga da referida mercadoria.

Pelo Conselho de Administração do Porto, acompanhou as operações o Administrador para a  área técnica e operativa Artur António Fernandes Carvalho.

Director Geral do CNC visita obras do terminal de passageiros e quebra-mar do Porto de Cabinda

 

O director geral do Conselho Nacional de Carregado...

Director Geral do CNC visita obras do terminal de passageiros e quebra-mar do Porto de Cabinda

O director geral do Conselho Nacional de Carregadores, disse na sequência de uma visita a província de Cabinda, que é preciso dar-se um outro impulso as obras de construção do terminal marítimo de passageiros e Quebra-mar do Porto local. No seu entender, o desenvolvimento da região passam também  por estas duas infra-estruturas ligadas ao sector dos transportes.

Fontes Pereira, adiantou que, para além da província a classe empresarial local vem no terminal marítimo e o quebra-mar do porto de Cabinda, uma oportunidade para alavancar o comércio na região face aos actuais constrangimentos da ponte-cais.

O director geral do CNC, alertou por outro lado, a necessidade do cumprimento dos prazos de execução das duas empreitadas, tendo reconhecido as dificuldades de ordem financeira pelas quais, as duas obras atravessam para sua conclusão.

Tive a oportunidade de ouvir o que está a ser feito e o que já foi feito e o que se precisa fazer, e eu acho que estamos no bom caminho, precisamos apenas de resolver alguns assuntos pendentes como financiamento e outros”.

A visita às obras de infra-estruturação do porto de Cabinda por parte do director geral do Conselho Nacional de Carregadores, visou  alargar a sua base de conhecimento sobre os níveis de execução física e financeira das obras e de organização da Empresa Portuária de Cabinda.

Durante a sua estadia, o director do Conselho Nacional de Carregadores, visitou igualmente as obras de construção do novo terminal de cabinda na localidade de Caio-litoral.

 

 

Direcção de Segurança e Ambiente orientada a manter o Porto de Cabinda cada vez mais seguro

 

O Presidente do Conselho de Administraç&ati...

Direcção de Segurança e Ambiente orientada a manter o Porto de Cabinda cada vez mais seguro

O Presidente do Conselho de Administração do Porto de Cabinda, nomeou e empossou o novo chefe de departamento de segurança da empresa. Tal facto, ocorre numa altura em que instituições nacionais e internacionais estão cada vez mais preocupadas com a segurança marítima e as actividades realizadas nas fronteiras marítimas, caso, os portos.

António Manuel dos Santos Cugingama, substituiu Casimiro Luemba Mananga que nos últimos anos em cumprimento da sua missão de serviço no Porto de Cabinda, coadjuvava o director de segurança e ambiente nas questões ligadas a segurança das instalações portuárias.

Durante a cerimónia de tomada de posse decorrido na sala de reuniões do conselho de administração, o chefe de departamento de segurança, efectuou a leitura dos instrumentos que regem a vida do Porto, como é o caso do código de ética.

Na sua intervenção, o Presidente do Conselho de Administração do Porto de Cabinda recordou ao novo chefe de departamento de segurança que a sua área de protecção é industrial. Samuel Sambo, pediu dinamismo e compromisso e aconselhando o empossado que haja interacção permanente entre os membros da segurança para o sucesso da missão. Solicitou  partilha de conhecimento, particularmente o código ISPS, segurança marítima e portuária.

Por seu turno, o Administrador para a Área Técnica e Operativa, Artur António Fernandes Carvalho, recordou ao novo comandante “António Manuel dos Santos Cugingama” que o Porto de Cabinda é uma fronteira e que, em concertação com o director da área, tudo seja feito para contínua protecção das instalações do Porto de Cabinda.

O novo chefe de departamento de segurança já em funções, foi nomeado através do despacho número 108 de 18 de Julho do ano em curso.

O Porto de Cabinda doou cerca de duas toneladas de bens diversos as populações do sul do país.

 

Em nome dos quatrocentos e vinte três trabal...

O Porto de Cabinda doou cerca de duas toneladas de bens diversos as populações do sul do país.

Em nome dos quatrocentos e vinte três trabalhadores, o Conselho de Administração do Porto de Cabinda, doou cerca de duas toneladas de bens não perecíveis a coordenação da campanha de angariamento de bens as populações do sul de Angola, junto a Rádio Cabinda.

Os bens subscrevem-se em arroz, feijão, óleo, massa alimentar, água mineral, açúcar e sal.

O gesto simbólico de entrega de bens a coordenação da campanha, foi feita pelo Administrador para a área técnica e operativa, Artur António Fernandes Carvalho. Pela coordenação da campanha do governo provincial de Cabinda, recebeu a doação do Porto local, João Maria.

Na ocasião, o director de recursos humanos da Empresa Portuária de Cabinda, disse que o gesto do porto local para com as populações do sul do país afectadas pela seca, visa minimizar a actual situação vivida por estes.

Pitra Napoleão, adiantou que o momento de contenção financeira na Empresa não impediu que também pudesse demonstrar o seu lado solidário. Acrescentou que o apoio as populações carenciadas e não só, consta nos princípios assumidos pela Empresa com as nações unidas.

“ Este gesto, simplesmente não é para mostrar que, nós temos, mas, como se diz, mesmo com pouco nós demos partilhar com aquelas pessoas que estão a sofrer”.

A coordenação da campanha de angariamento de bens, agradeceu o Porto local por ter aderido a campanha. João Maria, destacou a prontidão da Administração da maior Empresa Pública local.

“ O porto é mais uma das empresas que, com o mesmo de amor, doa para as pessoas que estão a necessitar no sul do país”.

A campanha de angariamento de bens para as populações do sul de Angola, iniciativa do governo provincial de Cabinda, teve a duração de trinta dias.

Angola vai ter um Plano Director Nacional do Sector dos Transportes e Logística

 

O Plano Director Nacional do Sector dos Transporte...

Angola vai ter um Plano Director Nacional do Sector dos Transportes e Logística

O Plano Director Nacional do Sector dos Transportes e Logística de Angola a ser submetido ao governo para aprovação no início do segundo semestre, anunciou quinta-feira em Luanda o Ministro dos Transportes.

Ricardo Viegas de Abreu disse que o plano, que foi objecto a consulta pública nos últimos 12 meses, contém a visão de longo prazo para o desenvolvimento do sector, o seu papel estratégico, para assegurar uma crescente contribuição para o desenvolvimento sustentável da economia, proporcionando investimento e criação de empregos para a juventude.

O ministro, que falava na abertura do XI Conselho Consultivo do Ministério, entende ser viável conseguir inserir a economia angolana no contexto regional, continental e global através de parcerias público-privadas e das concessões a entidades internacionais com capacidade financeira, conhecimento e credibilidade internacional.

Informou estarem em curso vários projectos, como o lançamento da bilhética electrónica, cujo programa piloto foi já executado, melhoria da mobilidade na província de Luanda, criação da Empresa Nacional de Infra-estruturas Ferroviárias e projecto integrado da Baía do Namibe.

A reactivação do Corredor do Lobito, materialização das Linhas Orientadoras para Estratégia do Sector da Aviação Civil e a preparação das peças para o lançamento de concurso internacional para concessões aeroportuárias e dos terminais portuários do porto do Lobito são outros dos projectos em curso.

Durante Dois dias, quadros do ministério dos transportes, empresas tuteladas e parceiros, discutiram e analisaram temáticas relativas ao desenvolvimento e melhorias das infra-estruturas públicas dos sistemas de transportes, da expansão do transporte público e do desenvolvimento da função logística.

O Porto de Cabinda esteve representado no encontro ao mais alto nível, tendo a testa, o seu Presidente de Conselho de Administração e o Administrador para a Área Técnica e Operativa.

Workshop sobre governança corporativa junta portuários e parceiros em Cabinda.

 

A abertura do evento, contou com a presença...

Workshop sobre governança corporativa junta portuários e parceiros em Cabinda.

A abertura do evento, contou com a presença do vice-governador para a área económica, Romão Macário Lembe em representação do governador provincial Eugénio César Laborinho.

A formação com duração de dois dias (12 e 13 de Junho de 2019), visa elevar os conhecimentos da sociedade Cabindense e dos quadros intermédios do Porto de Cabinda, sobre os compromissos assumidos pelo Porto de Cabinda, aquando da sua adesão ao Pacto Global das Nações Unidas em 30 de Maio de 2018 nas áreas ligadas aos direitos humanos, trabalho, meio ambiente e combate a corrupção.

A iniciativa pretende por outro lado, incutir na liderança da Empresa, colaboradores e sociedade local a importância da ética e boas práticas no exercício da actividade diária.

No primeiro dia de trabalhos, o Presidente da ACGD, Zeferino Estêvão Juliana apresentou documentos actualizados sobre a Comissão de Sustentabilidade e respectiva composição, regulamento actualizado da Comissão de Ética e sua composição, Código de Conduta para Fornecedores, Provedor do cliente e o plano Operacional de Sustentabilidade.

Na ocasião, o Presidente do Conselho de Administração do Porto de Cabinda disse que, é intenção do porto continuar no pacto global como membro efectivo. Por isso em parceira estratégica com a Associação Cristã de Gestores e Dirigentes, a sua administração, deu início, a acção formativa sobre governança corporativa sobre os dez princípios do pacto global, os dezassete princípios do desenvolvimento sustentável das nações unidas, princípios e boas práticas de gestão para promover comportamentos éticos na empresa.

Samuel Sambo, garantiu que a empresa que dirige, está a trabalhar para o cumprimento dos prazos estabelecidos pelo Pacto Global, no que toca, a apresentação da comunicação de progresso. O PCA, esclareceu que o pedido da prorrogação do prazo endereçada ao Pacto Global relativamente a comunicação de progresso em Maio último, serviu apenas para ajustes na sua estratégia.

“Volvido um ano e doze dias, o escritório centrais da organização como rege a sua metodologia de trabalho cobra de nós, a comunicação de progresso. Pelo facto de nos encontrarmos num período de reorganização de toda estrutura ligada a sustentabilidade, solicitamos no mês de Maio último, um período de graça. Período este, que, termina já em Agosto. E sem prorrogação”.

Samuel Sambo, citou que em 2017, a Empresa marcou passos importantes na adequação da actual estrutura corporativa à realidade dos dez princípios que regem o pacto global com a nomeação de uma assessora para sustentabilidade.

“Para atingirmos os objectivos preconizados sabemos que não é tudo, por isso, continuaremos a trabalhar para que a estrutura seja eficaz, funcional e que cumpra com os seus objectivos”.

Temas como, certificação das empresas nas normas internacionais, relatório anual sobre sustentabilidade de acordo com as normas gri, comunicação do progresso anual (cop) à luz dos 10 princípios do pacto global das nações unidas, consultoria e monitorização, programa de sensibilização, formação e estruturação das acções de ética e sustentabilidade, análise do protocolo de colaboração entre a ACGD e o porto de Cabinda. Como orador foi convidado o professor Josué Chilundulo.

Participaram da acção formativa, membros do governo da província de Cabinda, quadros intermédios e de topo do Porto local, delegações do interior e da justiça e procuradoria-geral da república em Cabinda.